Massa se aproxima do retorno

Massa se aproxima do retorno

Os testes de pré-temporada da Fórmula 1 começam dia 27 de fevereiro, em Barcelona, na Espanha. Brasileiro já tinha anunciado a sua desaposentadoria

São Paulo (SP)

12
Felipe Massa não esconde a vontade de defender o Brasil nesta temporada – Foto: Divulgação

Os próximos dias têm tudo para serem decisivos para os dois pilotos brasileiros da Fórmula 1: enquanto as chances de Felipe Massa retornar ao grid poucos meses depois de anunciar sua aposentadoria da categoria, a situação de Felipe Nasr se complica cada vez mais.
No caso de Massa, a confirmação passa pela contratação de Valtteri Bottas pela Mercedes. Várias fontes dão conta de que o negócio está fechado e o piloto até teria feito seu molde de assento em uma visita à fábrica do time alemão na semana passada, mas ainda não foi feito um anúncio oficial.
Bottas ocuparia a vaga de Nico Rosberg, que anunciou sua aposentadoria cinco dias após conquistar o campeonato de 2016.
A decisão pegou seu time de surpresa e o colocou em uma situação complicada, uma vez que todos os grandes nomes já estavam sob contrato para 2017.
A solução, portanto, foi oferecer um desconto no fornecimento dos motores a uma das clientes da Mercedes, a Williams, em troca de Bottas, piloto com quatro temporadas de experiência e boas performances na carreira. O time inglês, contudo, deixou claro que só liberaria o finlandês caso tivesse um piloto experiente para colocar em seu lugar e, por conta disso, procurou Massa.
O brasileiro havia decidido deixar a Fórmula 1 por uma série de fatores, mas nunca escondeu que a falta de cockpits competitivos foi importante. Afinal, há meses a Williams já sinalizava com um acordo para promover a estreia do canadense Lance Stroll, o que foi confirmado após o anúncio de aposentadoria de Felipe. Massa, então, aceitou o convite, sempre na dependência do que acontecesse com Bottas.
A aposentadoria surpreendente de Rosberg chegou a aumentar as chances de Nasr permanecer como titular neste ano, uma vez que o primeiro candidato cotado foi Pascal Wehrlein, piloto do programa de desenvolvimento da Mercedes.