“Antes era visto como jogador, agora como milagre”, diz Neto

“Antes era visto como jogador, agora como milagre”, diz Neto

Um dos seis sobreviventes da tragédia, zagueiro diz que Chape lhe dá forças: “Vou melhorar e representar aqueles caras do jeito que eram”.

De muletas e ainda muito debilitado, Neto deu aula de humildade ontem na apresentação da Chape para a temporada 2017 - Foto: Sirli Freitas/Chapecoense/Divulgação/Notisul
De muletas e ainda muito debilitado, Neto deu aula de humildade ontem na apresentação da Chape para a temporada 2017 – Foto: Sirli Freitas/Chapecoense/Divulgação/Notisul

Chapecó

A Chapecoense apresentou o grupo responsável por vestir as cores verde e branca na temporada 2017. Além de ser apresentado à imprensa, o grupo teve a oportunidade de conversar com o zagueiro Neto, um dos sobreviventes do acidente na tragédia da Colômbia.

Ainda de muletas e com uma das pernas imobilizadas, Neto circulou pelos vestiários, conversou com os novos colegas, vestiu a camisa da Chapecoense e foi muito aplaudido pelos presentes quando teve o nome citado. Com a voz ainda fraca em função da recuperação, o zagueiro falou sobre o encontro com a equipe nos vestiários da Arena Condá.

“É um prazer receber o pessoal que está chegando, a gente espera agregar alguma coisa na vida deles para que eles possam fazer o melhor aqui e possam ter essa identidade com o clube, que é familiar, onde todos se abraçam e lutam pelo mesmo ideal, com mesmo pensamento e humildade”, disse o zagueiro.

Neto se destacou com a camisa da Chapecoense nos dois anos em que esteve no clube. Considerado uma das lideranças dentro de campo, ele se torna cada vez mais uma referência no clube do Oeste. Visivelmente fragilizado fisicamente, o atleta afirma que o carinho das pessoas aumentou.

“As pessoas me viam como um jogador, uma pessoa que estava muito bem, as pessoas paravam, tiravam fotos, agora me veem como um milagre. Então mudou muito, às vezes as pessoas me veem e choram, falam “que bom que você está aqui”. O olhar de todos mudou, o carinho aumentou”, destaca o camisa 4 do Verdão catarinense.

Mais do que apoiar os novos contratados, Neto também busca no clube forças para se reerguer. Ele espera que voltar a vestir a camisa da Chape seja um ponto fundamental na sua recuperação.

“Preciso primeiro recuperar minha saúde, e minha mente também. Estar aqui (na Chapecoense) é o que vai me dar força. Ou melhoro e represento aqueles caras do jeito que eram ou vou me afundar na depressão”, disse o zagueiro.

“Estava vivendo um momento muito bom na Chapecoense. Fiquei dez dias desacordado, mais seis dias em que as pessoas não me contaram a verdade, então agora que tá começando a cair a ficha. Nessa vida não somos nada, é como uma neblina que dissipa qualquer momento a gente pode ir embora, não sabemos o dia de amanhã. A gente tem que ser humilde. O clube é muito parecido comigo, humilde, pé no chão, solidário e mesmo as pessoas colocando que o Neto é um ídolo, que é um guerreiro ainda sou aquele Neto humilde que dá atenção a todos e procura ajudar as pessoas que têm necessidades”, finaliza o atleta, que pretende voltar a jogar ainda neste semestre.