Colunas

Adequação vocabular

Amaline Mussi - abmussi@matrix.com.br

04 de Novembro de 2008 às 00:00min

Amaline Mussi
Será que você já fez uso de “adequação vocabular”? “Vocabular” diz respeito a vocábulo, palavra. “Adequação vocabular” é adequar as palavras à situação de fala. As gírias, por exemplo, podem ser perfeitamente ajustadas a certos contextos.

A palavra “ficar”
“Quero alguém legal para ficar”.
Qualquer dicionário de língua portuguesa traz o significado da palavra, que já sabemos sabe qual é. Porém, nos últimos tempos, os jovens deram a essa palavra um novo sentido.
Ficar, com esta acepção, quer dizer algo como “ter um leve envolvimento com alguém, sem compromisso”. Um rapaz vai a uma festa, conhece uma garota e fica o tempo todo com ela, o que pode incluir beijos e abraços.

A palavra “detonada”
“Vamos agitar, vamos dar uma detonada!”.
“Detonar”, nos dicionários, aparece como sinônimo de “fazer explodir”, “provocar uma explosão”. Na gíria, essa palavra passou a ser usada como sinônimo de “pôr tudo a perder”, “acabar com tudo” e até de “ser o máximo”, “ser o melhor dos melhores”. O jogador que “detonou”, por exemplo, foi o melhor do jogo.
No território da gíria, da linguagem popular, usar o verbo “detonar” com esse sentido é perfeitamente possível. Em linguagem formal, isso não seria de maneira alguma adequada. “Detonar” se limitaria, nesse caso, a indicar a idéia de explosão.

Uso de “gente” e “nós”
Afinal, podemos ou não utilizar a expressão “a gente” no lugar de “nós”? Dizer que não há problema nenhum em usarmos a expressão no dia-a-dia, na linguagem coloquial, contraria muitas pessoas, para quem esse uso da palavra “gente” deveria ser abolido de vez.
Evidentemente, não é possível eliminar a expressão da língua do Brasil, mesmo porque seu uso já está mais do que consagrado. Mas quando ela é de fato mais lícita? No bate-papo, na linguagem informal. No texto formal, está fora de questão.
Mas, uma vez usada, como deve ser a concordância? É “a gente quer” ou a “gente queremos”?
A maneira correta é: “A gente quer” ou “Nós queremos”.

“Não dá pra”
Na linguagem popular, a expressão “não dá pra...” é aceita e muito comum. No texto formal, no entanto, o mais apropriado seria utilizar “não é possível” ou algo equivalente.
“... não dá para controlar, não dá pra planejar”.
Utilizar essa expressão não é errado. Ela é adequada a um determinado nível de linguagem, como a fala. Mas o padrão escrito não a recomenda.

Que posição devemos ter em relação à gíria? Preconceito? Não. A gíria vai e vem: ela nasce, vive, desaparece e pode até ressurgir. No entanto, no texto formal, procure evitá-la.

Enquete

Você acredita que a construção da ponte Anita Garibaldi pode ser paralisada por causa do esquema de desvio de dinheiro na Petrobras?

Opções
Veja enquetes anteriores

Colunas e blogs

Ver todas as colunas

Virtualiza Comunicação