Geral

Pescaria Brava

Eleição já é articulada

A pouco mais de um ano do pleito municipal, os partidos já tratam de se organizar para disputar o primeiro mandato na nova cidade catarinense. Até o momento, três siglas já criaram comissões provisórias.

25 de Agosto de 2011 às 01:57min

Zahyra Mattar
Laguna

A movimentação já é grande em Pescaria Brava. Os 6.268 eleitores da nova cidade escolherão o primeiro prefeito e vice, assim como os primeiros nove vereadores, em outubro do próximo ano. Os locais de votação, em um total de 12, já estão definidos.
Até o momento, três partidos já confirmaram, junto ao Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC), a criação de comissões provisórias para participar do pleito: PPS, PSDB e PT. O PMDB fará o protocolo nos próximos dias.
As siglas têm até junho do próximo ano, quando iniciam as convenções, para se registrar. Caso contrário, ficam fora da concorrência.

Ainda é cedo para definir quem é quem na corrida pela cadeira do executivo de Pescaria Brava. Contudo, o principal nome que surge é o do vereador Deyvisonn da Silva de Souza (PMDB).
Hoje, ele é o primeiro secretário da mesa diretora da câmara de Laguna. “É cedo, mas é verdade. Já sou o pré-candidato do PMDB. O vice não está definido, mas tentamos alinhavar com o PSDB”, antecipa o vereador, natural da Estiva.
O tucano em questão também é vereador em Laguna: Aderbal Moreira Cardoso (PSDB), nascido no Bananal. Existe uma articulação para que haja apenas esta chapa, ainda que, por enquanto, não haja consenso. “O PT e o PP estão nesta sintonia. Mas ainda tem chão pela frente”, informa Deyvisonn.

Com isso, o grande embate ficará na formação do legislativo. Enquanto a eleição não ocorre, os vereadores com domicílio na localidade aproveitam para equipar a nova cidade: em breve, uma lotérica, um posto da Polícia Civil, um destacamento da PM e um posto do Banco do Brasil serão instalados.

Comissão de transição é criada

O município de Laguna possui responsabilidades legais na instalação da cidade-irmã, Pescaria Brava. O decreto que cria a comissão municipal de transição política, administrativa e contábil, de transferência de bens e de servidor público de atos legais foi assinado pelo prefeito Célio Antônio (PT) na última semana.

O grupo é composto por 12 funcionários oriundos do gabinete, da secretaria da fazenda, da administração, da educação, da saúde, da assistência social e da procuradoria geral do município.
A comissão tem a missão de subsidiar o prefeito a expedir atos necessários para a execução da emancipação do distrito da Pescaria Brava. Também será de responsabilidade da comissão realizar reuniões com servidores para orientar sobre os procedimentos adotados na gestão de recursos humanos da emancipação.

Até que o novo município tenha as suas próprias leis, as normas criadas em Laguna valerão em Pescaria Brava durante o período de transição política e administrativa. A Cidade de Anita ainda ficará como responsável por manter a escrituração contábil de Pescaria Brava no exercício fiscal de 2013 e manter conta corrente por até três meses.


Colunas e blogs

Ver todas as colunas

Virtualiza Comunicação