Geral

Longevidade

Expectativa de vida do brasileiro hoje é de 74 anos

O médico especialista Lawrence de Luca Dias, de Tubarão, cita o tripé fundamental para se ter longevidade com saúde.

09 de Fevereiro de 2013 às 00:38min

Eduardo Zabot
Tubarão

 Viver mais e com saúde é a receita que todo ser humano quer encontrar. O brasileiro hoje está com uma expectativa de vida de 74 anos. O médico especialista Lawrence de Luca Dias, de Tubarão, cita o tripé fundamental para se ter longevidade com saúde. “As pessoas têm que ter consciência que é preciso ter qualidade de vida, atividade física e cuidados com a saúde, com foco na prevenção, para viver bem”, orienta.
 
Quando se fala em qualidade de vida, é preciso ter uma alimentação saudável, com verduras, legumes e frutas, evitar gordura e não esquecer dos líquidos. “A água é fundamental para todos nós. Mas, quando chegamos ficamos mais velhos, o próprio organismo não estimula a sede. Por isso, devemos sempre beber água”, explica o médico. O lazer também é fator importante, principalmente para os idosos.
 
Atividades físicas também são necessárias na terceira idade, mas devem ser feitas com moderação. “É importante que o idoso saiba o limite de esforço, por isso, a atividade física deve ser moderada e acompanhada por profissionais e familiares”, ensina.
 
Dois fatores contribuem para o aumento da expectativa de vida do brasileiro. Um é a redução da taxa de mortalidade infantil. O outro é o avanço da tecnologia na medicina, em conjunto com o uso de antibióticos. Resumindo: existe cura para várias doenças e remédios para tratamento de tantas outras.
 
Prevenção
Os homens vivem menos porque nem sempre dão a importância necessária para a saúde. “O homem só procura o médico quando não aguenta mais a dor ou é trazido por familiares”, conta o médico Lawrence de Luca Dias. Já a mulher é mais dedicada à prevenção, procura atendimento assim que percebe algo diferente no corpo. Esse fator é o grande contribuinte para que hoje a mulher tenha uma expectativa de vida maior que o homem.
 
A prevenção envolve ações que protegem contra o surgimento de sintomas de diferentes tipos de doenças. Essa proteção inclui a informação, os diferentes tipos de vacinação, o acesso a um atendimento médico de qualidade, uma boa alimentação, água potável e saneamento básico, atividades físicas. Ou seja, uma boa qualidade de vida previne o aparecimento de enfermidades (embora não se resuma a isso, nem exclua o acompanhamento médico).
 
Como diz o ditado, “prevenir é o melhor remédio”. Para a prevenção de vários tipos de doenças, basta ter um acompanhamento médico de qualidade, buscar manter-se informado, conhecer o seu corpo e suas exigências, alimentar-se de forma saudável e incluir atividade física na rotina. Dessa forma, é possível evitar (ou impedir que se agravem) doenças como hipertensão, diabetes, obesidade, estresse, depressão, câncer. 
 
Também é recomendado evitar substâncias que possam fazer mal ao seu organismo. Tabaco, qualquer tipo de droga ilícita, cafeína ou álcool em excesso, alimentos muito gordurosos, frituras ou com muito sódio são apenas alguns exemplos. Tudo isso influencia para as pessoas possam chegar - ou não - à terceira idade com saúde e disposição.
 
Religiosidade
A família de Isaac José de Borba, 100 anos, conta que a religião é outro exemplo forte ‘herdado’ pelos filhos. Seu Isaac assiste missas pela televisão e reza todos os dias antes de dormir e assim que acorda. Para os familiares, a fé também é um fator que contribui para a vida longa, e com disposição.
 
Isaac e Margarete fizeram questão de posar para foto com a neta
 
Como chegar aos 100 anos?
Devagar e com o auxílio de uma muleta, seu Isaac José Borba, 100 anos, circula pela casa onde mora e é orgulho dos familiares. A filha Sandra Regina Borba Bittencourt afirma que a disposição para o trabalho sempre foi algo que lhe chamou a atenção no pai. “Ele sempre trabalhou com serviço pesado e nunca lhe faltou disposição. Hoje, tem 100 anos e é nosso grande exemplo”, ressalta.
 
O convívio familiar sempre foi exigência dos pais. “Eu lembro até hoje: todas as refeições eram feitas em família, e nós só podíamos sentar na mesa depois que o pai sentava. Esse é um exemplo que levo comigo com minha família hoje”, conta.
 
Para a cuidadora Janete Ribeiro, que trabalha com Isaac, é gratificante cuidar dele. “A alimentação dele é muito colorida, tem verdura, legume, tudo bem cozido. Eu cuido, estou junto, mas ele é muito dependente”, declara. 
Casado há 66 anos com Margarete Borba, 84 anos, seu Isaac tem 14 filhos, mais de 30 netos e mais de dez bisnetos. A família está sempre presente e mensalmente existe um acompanhamento médico.
 
Atividades físicas
Fazer exercícios traz benefícios em qualquer idade. Longevidade e qualidade de vida têm tudo a ver, pois é unanimidade o desejo de viver bastante, e com saúde, bem-estar, bom condicionamento físico e, se possível, no peso ideal. O envelhecimento fisiológico não acompanha necessariamente a idade cronológica, pois isto varia de pessoa para pessoa, levando em conta muitos fatores, principalmente o estilo de vida de cada um.
Há pessoas de 60 anos com condicionamento físico e qualidade de vida melhor do que algumas de 30 anos. O sedentarismo é, sem dúvida, um poderoso inimigo para quem deseja uma vida saudável. Com o passar dos anos, perde-se massa muscular, flexibilidade, força, equilíbrio, massa óssea, além de aumentar a gordura corporal. Há uma série de modificações nos diferentes sistemas do organismo, seja na composição corporal, muscular, cardiovascular, pulmonar, neural ou de outras funções orgânicas que sofrem efeitos deletérios, além do declínio das capacidades funcionais e modificações no funcionamento fisiológico.
 
Estrutura modificada
A estrutura da casa onde mora idosos deve ser adequada. Confira alguns detalhes simples que podem evitar maiores problemas de saúde.
• Os degraus devem ser evitados. Tornam impossível a circulação de cadeiras de rodas, dificultam a passagem de pessoas com limitações de movimento e são a maior causa de tropeços. Se possível, a melhor opção é fazer uma pequena reforma para retirar os degraus e colocar rampas no desnível.
• O carpete deve ser retirado para evitar o acúmulo de ácaros e pó, causadores de doenças pulmonares. Tábuas corridas são práticas e outras opções são os pisos frios - cerâmica ou porcelanato - ou mantas plásticas, também com fácil aplicação e fáceis de limpar.
• No banheiro, é imprescindível piso antiderrapante, para evitar escorregões. A outra sugestão é inusitada: carpete, são recortados para encaixar na louça e que possam ser retirados para lavar. Assim, o banheiro não fica com o chão frio.
• Barras de apoio são essenciais perto do vaso sanitário, no boxe e ao lado da pia. A altura deve ser regulada de acordo com a pessoa que vai usar. Na área de banho, é melhor evitar boxes de materiais que possam quebrar e cortar em caso de queda. 
• Iluminação é um ponto importante a ser pensado. A casa nunca deve ficar escura, mas a claridade não pode atrapalhar o sono. Uma luminária no quarto mantém a luz bem fraca, somente para evitar acidentes. No banheiro, o ideal é um sensor de presença com acendimento automático.
• As quinas precisam ser escondidas. As dos móveis podem ser tapadas com bolinhas de borracha feitas especialmente para isso. Também é legal proteger as quinas das paredes, para que não sejam danificadas por cadeiras de rodas. Os caminhos e áreas de passagem precisam ficar sem obstáculos. 
• Na cozinha, é preciso ter cuidado dobrado: não deixe objetos pontiagudos expostos, coloque um tapete ao lado da pia para o chão não ficar escorregadio. Os armários ocupam menos espaço com portas de correr e não criam obstáculos quando elas estão abertas.
 
 
 
 
 
 
 
 

Colunas e blogs

Ver todas as colunas

Virtualiza Comunicação