Geral

Forças Armadas: Carreira no Exército é vocação

Militar explica como é a rotina e o que um jovem precisa ter para seguir galgar os degrais

06 de Dezembro de 2010 às 00:00min

Karen Novochadlo
Tubarão

“A carreira militar é como o sacerdócio”, revela o major André Luiz Grenteski, comandante da 3ª Companhia do Exército em Tubarão. O jovem, quando resolve prosseguir dentro das Forças Armadas, deve ter em mente que a atividade é desempenhada 24 horas por dia, sete dias da semana.

“Na vida militar não existe rotina. Às vezes você acorda às 5 horas e outras simplesmente não dorme. Não existe hora para chegar e sair”, avisa o major. Para entrar no Exército, existem três formas: sendo voluntário, pelo serviço militar obrigatório e por meio de concursos.

Quando o jovem ingressa pelo serviço militar obrigatório, sua aprendizagem é dividida em três períodos: instrução individual, qualificação e adestramento. No primeiro, o recruta aprende o que é ser soldado, no segundo desenvolve um ofício (motorista, fuzileiro, etc) e no último é orientado como agir dentro da corporação.

Para seguir carreira, é preciso aprovação em um concurso público e entrar em uma escola especial, cuja formação é específica. “A carreira militar não é como qualquer outra profissão. Você pode começar medicina com qualquer idade, mas entrar no Exército não”, explica o major André Luiz.

A rotina é rígida e implica em treinamentos muitas vezes exaustivos e cumprimento das ordens. O perfil dos jovens que desejam entrar nas Forças Armadas envolve dedicação, disciplina, idealismo e pró-atividade. “Quando me perguntam o que fazemos no exército, respondo que não temos guerra porque temos uma forte força armada”, responde, com orgulho, o terceiro sargento Marcelo Pickler da Silva.

Sem destino certo
Na sexta-feira, uma solenidade foi feita na 3ª Companhia do Exército em Tubarão: o segundo sargento Alex Amaro (foto), 33 anos, foi transferido para o Centro de Instrução de Guerra na Selva, em Manaus, no Amazonas, onde ele será instrutor.

Seu sonho, desde pequeno, era fazer parte das Forças Armadas. Aos 18 anos alistou-se no serviço militar obrigatório em Itú, São Paulo. Daí para seguir carreira foi um passo. Alex prestou concurso para a escola de Sargentos das Armas (EsSA) em Três Corações, em Minas Gerais. Depois viajou para outras cidades brasileiras. Serviu em Manaus, Florianópolis e, por último, Tubarão.

E quem pretende seguir carreira no Exército deve mesmo estar preparado para mudanças, já que dificilmente o candidato fica mais de três anos em cada localidade.

O Exército em Tubarão
A instalação da 3º Companhia do Exército em Tubarão não foi por acaso. A cidade foi escolhida por ser um ponto estratégico: é próxima da serra e do litoral. Há 49 anos, quando veio para o município, a 3ª Companhia tinha o objetivo de guarnecer a termoelétrica e garantir o abastecimento de energia. Hoje, o Exército está mais do que inserido na comunidade e sempre é parceiro da cidade diversas ações e situações.

Enquete

Você acredita que a construção da ponte Anita Garibaldi pode ser paralisada por causa do esquema de desvio de dinheiro na Petrobras?

Opções
Veja enquetes anteriores

Colunas e blogs

Ver todas as colunas

Virtualiza Comunicação