Chape vence S. Paulo em crise

Chape vence S. Paulo em crise

Verdão do Oeste fez a alegria de cerca de dez mil torcedores na Arena Condá e subiu a 13º na tabela.

Chapecó

A tarde de ontem foi de um misto de emoções para os mais de dez mil torcedores presentes na Arena Condá. Sem risco de pecar pelo excesso, a partida contra a equipe do São Paulo teve peso de decisão por se tratar de um confronto direto – considerando a colocação das equipes na tabela de classificação – e pelo jejum de vitórias que a Chapecoense vivenciava. E se o teor da partida foi de final de campeonato, a vitória alviverde, por 2 x 0, foi tão comemorada quanto um título.

Com quatro desfalques, o técnico Vinícius Eutrópio mudou, além das peças, a formação da equipe. O primeiro tempo foi de bastante equilíbrio, com a Chape marcando a saída de bola da equipe do São Paulo e mantendo a dinâmica de atacar pela direita com a velocidade de Apodi e Seijas, no ataque. Foi do venezuelano, aos 18 minutos, a melhor chance do primeiro tempo, após cobrança de falta que carimbou a trave de Renan Ribeiro. A etapa inicial seguiu com as equipes se estudando e, nas chegadas do time paulista, Jandrei manteve a meta alviverde segura e determinando o placar de 0 a 0 na primeira parte do confronto.

O técnico Vinícius Eutrópio não alterou a equipe para a continuidade da partida, mas logo aos 14 fez duas alterações decisivas, colocando Lourency no lugar de Moisés Ribeiro e Túlio de Melo no lugar de Perotti. Bastaram dois minutos para a estrela do treinador brilhar e Túlio de Melo subir mais do que a zaga tricolor e estufar as redes do adversário. Eutrópio ainda apostou na entrada de Lucas Mineiro no lugar de Seijas e o Verdão tomou conta das ações da partida. No apagar das luzes, deu tempo pra mais um: Lourency aproveitou bola perdida da equipe do São Paulo e tocou na medida para Lucas Marques marcar o segundo e sacramentar a tão esperada vitória alviverde.

Ao final da partida, o técnico Vinícius Eutrópio falou sobre o significado da retomada da vitória. “Uma simbologia grande. Foi citado na nossa chegada aqui em Chapecó, depois do jogo do Sport, que o vencedor é aquele que sabe ter postura e superação no momento difícil da derrota. Isso partiu da cidade, da torcida, no momento em que fomos recebidos com apoio na chegada ao aeroporto. Aquilo fortaleceu o que viemos falando da história da Chapecoense (…) Tivemos a sensibilidade e a tranquilidade de focar no que realmente importava e pudemos criar uma estratégia para sair da partida vitoriosos”, ressaltou.

O próximo compromisso da equipe alviverde é na próxima quarta-feira, em São Paulo, onde a Chapecoense enfrenta o Santos, na Vila Belmiro, em partida válida pela décima quinta rodada do Campeonato Brasileiro.