Cervejeiros se reúnem na Ampe Tubarão para debater estratégias do setor

Cervejeiros se reúnem na Ampe Tubarão para debater estratégias do setor

O objetivo é desenvolver o segmento e construir uma rota turística cervejeira da região.

TUBARÃO

Em meio à crise econômica que prejudica o desenvolvimento do país, há um setor que não apenas está comemorando bons números como também projeta crescimento para os próximos anos. Perspectivas mais otimistas apontam que até 2025 o segmento das cervejas artesanais deva passar do atual 1% do mercado nacional e conquistar uma fatia de 5%. O Brasil é um dos maiores consumidores de cerveja do mundo e o terceiro maior produtor, atrás de Estados Unidos e China, e supera a Rússia e a Alemanha.

Na região, as marcas de cervejas artesanais têm se consolidado e na busca do desenvolvimento do segmento, foi criado em Tubarão, nesta quinta-feira, o Núcleo Cervejeiro. O evento de lançamento ocorreu na Associação dos Micro e Pequenos Empresários (Ampe) Tubarão e contou com a presença de empresários da Cidade Azul, Laguna, São Martinho, Braço do Norte, Imbituba, Garopaba e São Bonifácio.

A ideia, conforme o secretário de Desenvolvimento Econômico, Alexandre Moraes, é desenvolver o segmento e construir uma rota turística cervejeira da região. “Fortalecer o associativismo é uma forma de desenvolver o potencial de Tubarão e de toda a região”, destaca o secretário.

As cervejas especiais representavam 8% do mercado nacional da bebida em 2012 e encerraram 2014 com uma participação de 11%, segundo o Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja, que aponta a existência de 300 microcervejarias no país. A projeção é de que essa cota suba para 20% em 2020. O principal responsável pelo aumento do consumo é a difusão entre os consumidores.