Reintegração de posse será executada hoje em Laguna

Reintegração de posse será executada hoje em Laguna

Segundo PM, ainda há dez famílias morando no Loteamento Novo Horizonte, que está situado em um terreno do governo do Estado.

WILLIAN REIS
LAGUNA

Está marcada para hoje de manhã a execução da ação de reintegração de posse no terreno da Companhia de Desenvolvimento do Estado de Santa Catarina (Codesc), em Laguna, onde famílias deram origem ao Loteamento Novo Horizonte, irregular conforme liminar do poder judiciário.

A ação será executada pelos oficiais de justiça, cujo trabalho será acompanhado por agentes da Polícia Militar de Laguna e do Batalhão de Choque de Florianópolis. “A função da PM é a preservação da ordem pública para garantir a segurança de todos”, explica o comandante do 28º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Jefer Francisco Fernandes.

De acordo com o comandante, ainda há cerca de dez famílias morando no local, mesmo com a liminar expedida pelo juiz Fabiano Antunes da Silva, da 1ª Vara Cível de Laguna, determinando a saída imediata do terreno. As famílias foram intimadas no último dia 13 de dezembro, e o prazo dado pela liminar encerrou em janeiro. Entre os motivos para a reintegração está o fato de no terreno existirem poços de captação de água, que, devido à presença dos moradores, correm risco de poluição. “Um total de 85% dos moradores já deixaram o local”, afirma Fernandes.

O militar diz que foram feitas rondas e mantidas conversas com os ocupantes do terreno para oferecer orientações sobre a ação de hoje. “Eles não são nossos inimigos, nem somos inimigos deles”, comenta. A PM vai isolar a área e permitir a entrada apenas dos envolvidos. A execução terá ainda o apoio da prefeitura, para a remoção dos imóveis, e de técnicos da Casan e da Celesc.

 

Membro da Cufa diz que há 30 famílias no local
O coordenador da base em Laguna da Central Única das Favelas (Cufa), Vinícius Billy, diz que são 30 famílias que ainda estão no terreno, somando 94 pessoas, das quais 36 são crianças. O levantamento foi feito na sexta-feira passada. “Elas estão no local por falta de opção. Há grandes chances de elas estarem ao relento. Por isso estamos tentando ver um novo local para estas pessoas”, afirma Billy.
Para acompanhar a situação dos moradores do Novo Horizonte, a Cufa formou uma rede de apoio em parceria com o Escritório Modelo Troca de Saberes (Emtrosa), do curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro de Educação Superior da Região Sul da Udesc, em Laguna. Eles já promoveram reuniões na faculdade e na própria comunidade. Hoje, o grupo deve acompanhar a execução da ação de reintegração de posse.