O asco blasé pela política

Há uma palavra plena de significados para a Filosofia, para a História, para os sentidos das coisas humanas: contingente. Contingente é um acontecimento possível, mas não necessário; não apenas sobre as condições de sua ocorrência inexiste domínio, como elas são mesmo de natureza indomináveis. Disso decorre uma questão: a Civilização é resultado cogente de ações […]

Ou vai à luta, ou te conforma

Má-fé é uma expressão cara para os existencialistas. Significa a não assunção da responsabilidade em ter responsabilidade. Ninguém está isento do encargo de escolher nem das consequências das escolhas. Posso escolher não escolher. Com essa decisão resta decidido que tudo o que me envolve permanece no estado de coisas vigente. Aí, má-fé: atribuição de culpa […]

O imperador e o seu apartamento

É e muito difícil ser imperador. Antes de tudo, o imperador tem que ter um império. Sem o próprio império, ninguém impera. Estreitar o lugar de domínio soberano sem diminuir a soberania facilita a imperatividade. Foi o que fez: por ato de autoridade sua sobre si mesmo, declarou-se imperador de si e do seu apartamento […]

Falta-nos a invenção de uma moral pública

“Sem Deus, ficamos apenas com a moral humana. O resultado é o hiperindividualismo contemporâneo. Quando a moral é baseada apenas nos princípios humanos, esse humano se resume numa figura: eu!” (Darlyson Feitosa, Veja, 26abr17). Desimporta-me a afirmação da existência de um deus único. Deus, redigido com D maiúsculo, lança um deus particular sobre toda a […]

Os sentidos dos acontecimentos, o acontecimento da vida

Na nossa Tradição Ocidental a vida não foi valorada pela vida mesma. Ocorrem-me três modos de valorar a vida: pelo seu reconhecimento e gozo, como uma função para alcançar um fim, como um sentido dado. Os gregos entendiam a vida como um evento entre os eventos do Universo. Tudo estaria determinadamente ordenado num Cosmo absoluto […]

Cumplicidade, conversa, possibilidade amorosa (Coautora: Karine Vieira)

Os termos da vida em comum; a comunhão de propósitos; as reciprocidades inteligentes e sensíveis. Esses são fatores sine qua non de qualquer parceria. São, portanto, também, condição elemental da vida amorosa. A questão é: tais coisas acontecem, ou são feitas acontecer? Há quem creia e defenda com robustos argumentos que temos demasiada pouca gerência […]

Sexo, amor, inteligência, sensibilidade

Ela: – De repente, temos vontade de alguém: uma pessoa se consubstancia como gosto, faz-se, sem ato objetivo de fazimento, objeto de nosso interesse. Nos expomos, em busca, ao acontecimento. Acontece. Ele: – Instala-se o desejo, à revelia, muita vez com a contrariedade do desejante. Eis, até parece, o propósito, como se propósito houvesse, de […]

Os intelectuais e a adulação ao poder

Bertrand Russel (Dois conselhos importantes – YouTube): “Quando você está estudando um assunto, ou considerando alguma filosofia, pergunte a si, somente. Quais são os fatos? E qual é a verdade que os fatos revelam? Nunca se deixe divergir pelo que você gostaria de acreditar, ou pelo que você acha que traria benefícios às crenças sociais […]

Nenhum fascismo, toda a Constituição, Ferrajoli

As crianças se vão tornando adultas tendo que realizar cotidianamente uma prova de amor requerida pelos pais: obedecer. Obediência é prova cabal de amor. A criança não delibera com fundamentos; ela obedece ou desobedece. Desobedecer, seja ativamente, cometendo o interditado, seja passivamente, descumprindo ordem, é desamar. A criança, sob a ameaça da imputação de desamor […]